Um blog dedicado a tudo o que tenha a ver com maquilhagem. Videos de maquilhagem, dicas de beleza, sugestões e muito mais....
3.11.09

Cremes, banhos, tratamentos e massagens que transformaram o chocolate numa nova forma de prazer.

 

Quando os Maias descobriram o cacau como alimento, há mais de dois mil anos, provavelmente não imaginaram que no século XXI seriam descobertas tantas qualidades e aplicações para esse doce fruto nativo das Américas. A verdade é que hoje a chocoterapia transformou-se num método moderno que utiliza as propriedades benéficas do cacau para fins estéticos e terapêuticos, graças às substâncias benéficas que são extraídas das sementes do cacau.

Já existem muitas clínicas de estética no mundo que oferecem tratamentos baseados em chocoterapia. Se optar por uma massagem, deve saber que podem durar entre 45 e 70 minutos, e são realizadas com uma mistura de cacau, óleo de amêndoa e sais, que é aplicada sobre o corpo do pescoço para baixo, deixando a pele macia e suave. Inicia-se com uma exfoliação da pele para eliminar as células mortas. Depois, procede-se ao envolvimento em chocolate fluido. O efeito esfoliante é reforçado quando se combina o cacau com lama mineral. A sessão termina com um duche energizante e com a aplicação de um creme com extractos de manteiga de karité ou um creme com extracto de cacau que deixa a pele perfeitamente hidratada.

A chocoterapia também desenvolveu tratamentos faciais indicados para pele desidratadas, com acne e flacidez. Além de terapias para o corpo, que combatem celulite e gordura localizada. Graças à adição de extracto de cafeína, esta técnica proporciona também a queima de gorduras localizadas, com um efeito anticelulítico e modelador dos contornos corporais.

Outra técnica muito utilizada é o invólucro de chocoterapia, que consiste em aplicar no corpo todo uma espuma especial feita com derivados de cacau.
Para favorecer a absorção de seus componentes nutritivos e estimulantes, os especialistas aconselham envolver o corpo num cobertor eléctrico, que irradia calor durante vários minutos. O efeito relaxante, segundo dizem, é total.

Em forma de creme ou gel, os produtos aplicados no rosto e no corpo produzem efeitos comprovados, que proporcionam relaxamento e outros benefícios à pele.

Dado o ligeiro aroma que emana do delicioso alimento durante a aplicação da massagem, pode dizer-se que, da chocoterapia também se retiram os benefícios característicos da aromaterapia.

Além dos benefícios para o corpo, esta apreciada iguaria induz a produção de endorfinas, que aumentam a actividade de serotonina, um neurotransmissor que favorece o bom humor. Rica em enzimas, fitoestrogénios, vitaminas E, B, C, cafeína e minerais como o selénio, magnésio, potássio, ferro, etc., faz com que o chocolate resulte num tratamento de grande eficácia com deliciosas opções de bem-estar que mimam o corpo e a mente. O cacau possui seis aminoácidos essenciais para a saúde.

Já existem à sua disposição vários produtos à base de cacau que podem ser aplicados em casa. Entre eles, destaca-se um gel suavizante para a celulite, composto por um concentrado activo de cacau, combinado com agentes redutores, para combater o acúmulo de gordura. Também estão disponíveis no mercado máscaras corporais, faciais e labiais, que contêm minerais, antioxidantes e elementos que estimulam a renovação celular.

 

 

 

 

Onde fazer:

Body in Balance

 

link do post Princezinha, às 15:55  comentar

20.8.09

A incansável busca pela beleza e bem-estar faz parte da rotina diária de homens e mulheres que se preocupam com a aparência. São rugas, manchas, cabelos brancos, flacidez no pescoço, no papo e inúmeros sinais de que a idade está chegando.
 
Não há quem faça milagre, com o tempo a pele deixa de ter elasticidade e passa a ser mais seca e enrugada. É importante entender a idade certa da pele, e não de anos vividos. A pele de uma pessoa com 30 anos pode parecer muito mais velha do que a pele de alguém com mais idade. É preciso manter os cuidados diários, pois resultam em uma melhor aparência.

A papada, queixo e o pescoço não negam a idade, é preciso resolver o problema e correr atrás do prejuízo. O ideal é que a mulher ao longo do seu amadurecimento e envelhecimento vá fazendo pequenas correcções no rosto e pescoço, gradualmente para evitar uma grande cirurgia.

Fique atenta, não existe mágica, milagre ou fórmula infalível contra o rejuvenescimento. Acontece com todo mundo e um dia vai acontecer com você. A solução é procurar um especialista que possa orientar e minimizar os sinais do tempo.   
 
45 anos: ataque ao papinho!
A queda natural na produção de hormonas prejudica a aparência jovem da face. Além da papada, pode haver a queda das bochechas. Essas alterações fazem com que o queixo passe para uma forma quadrangular. A indicação é uma pequena lipoaspiração, que não retire toda a gordura do pescoço, o que ocasionaria a fixação da pele no músculo, piorando o aspecto estético.
 
55 anos: recupere a linha mandibular!  
Quem nunca passou por uma intervenção pode apresentar uma queda das estruturas faciais – superficiais e profundas – muito mais acentuadas. Além disso, a perda da definição da mandíbula é bastante evidente. Para recuperá-las, a colocação de uma prótese de silicone no queixo é uma boa saída. Já para aquelas linhas verticais no pescoço (que costumam ser decorrentes da flacidez do músculo chamado platisma). Este procedimento irá justamente reforçar essa musculatura.
 
65 anos: mudança geral!
Nessa fase da vida, os sinais do envelhecimento já estão mais acentuados. Há queda de pele, gordura e musculatura do rosto, bem como a reabsorção óssea da mandíbula e do maxilar. Além disso, acontece a perda da definição das linhas do pescoço, queixo e mandíbula.  O lifting facial é ideal porque actua sobre a flacidez acentuada do pescoço, bochechas caídas e papada protuberante.

 

 

link do post Princezinha, às 14:13  comentar

17.3.09

A primeira vítima do cigarro é a aparência do fumante: a pele perde o viço e começa a envelhecer precocemente, os dentes ficam amarelados, o hálito não fica mais tão fresco... Depois vêm as rugas e a flacidez. Devido à nicotina, o organismo dos fumantes produz menos colágeno, responsável pelas fibras elásticas da pele. Por causa disso, eles apresentam maior flacidez e mais rugas precoces no rosto. E aquele amarelo que tinge os dentes, a pele e as unhas dos fumantes? É obra do alcatrão, substância responsável por diversos tipos de câncer associados ao hábito, entre eles os de pulmão, boca e bexiga.

E quando cigarro e sol se juntam, o estrago é muito maior para a aparência. Estima-se que a pele das pessoas que tomam sol e fumam envelhece dez vezes mais rápido do que a de quem não têm esses hábitos. Isso ocorre porque a exposição solar, da mesma forma que a nicotina, destrói as fibras de colágeno e elastina, apressando o processo de envelhecimento.
Perigo em cirurgias plásticas
E quem pensa em resolver todos estes problemas estéticos provocados pelo tabagismo com uma plástica, pode não conseguir, pois além de causar a dependência, a nicotina tem efeito vasoconstritor na microcirculação sangüínea. Ou seja, reduz o diâmetro dos pequenos vasos, dificultando o aporte de oxigênio e de nutrientes que as células recebem por meio do sangue. “A vasoconstrição causada pela nicotina compromete o processo de cicatrização após as cirurgias. Durante uma cirurgia que envolve o descolamento do tecido cutâneo, há uma natural diminuição da vascularização. Ou seja, a associação desses dois fatores: cigarro + cirurgia potencializa os efeitos negativos sobre a pele. Por essa razão, cirurgiões plásticos americanos estão deixando de operar pacientes que fumem mais de um maço de cigarros por dia. Além do risco de necrose e gangrena, há possibilidade de abertura da sutura e de a pele voltar a enrugar em razão da menor sustentação dos tecidos”, afirma o cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada.
Segundo Penteado, “devido ao seu efeito vasoconstritor, o cigarro reduz a oxigenação do fluxo sangüíneo e retarda o processo de recuperação no pós-operatório. Além disto, compromete o sistema respiratório, deixando o paciente mais suscetível a infecções, problemas de cicatrização, necrose e intercorrências referentes à anestesia, trombose e embolias", explica o médico.
Ninguém desconhece a influência do fumo no câncer de pulmão, em outros tipos de câncer e nas enfermidades cardíacas. “Entretanto, a maioria das pessoas não sabe que existe uma relação causal entre o tabagismo e as complicações pós-cirúrgicas. Há, de fato, a necessidade de muita educação e divulgação para que as pessoas realmente sejam informadas sobre este fator de risco”, defende o cirurgião plástico.
Para de fumar e engordar
Sempre ouvimos dizer que quem pára de fumar, engorda. “Isso pode acontecer logo no início do processo porque o cigarro acelera um pouco o metabolismo. Mas está longe de ser um motivo para não largar o vício”, defende o médico nutrólogo do Centro de Medicina Integrada, Thiago Volpi.
Parar de fumar predispõe realmente ao ganho de peso. Vários fatores concorrem para esse fato. Inicialmente, a bem conhecida redução do apetite causada pela nicotina deixa de atuar, liberando os estímulos de fome que passam a ser normais ao invés de exacerbados, como pensam alguns.
"É possível parar de fumar e não engordar, seguindo um plano alimentar que fracione alimentos e evitando aqueles que naturalmente se relacionam fortemente com o fumo, como as bebidas alcoólicas e o café. Nesse processo devem ser priorizados aqueles que afastam a vontade de fumar, como as balas e os doces em suas versões lights, principalmente aqueles com sabor mentolado e de frutas. Parar de fumar não faz o paciente sentir fome além do normal. O que ocorre é que ao abandonar o cigarro, o paladar volta a funcionar e surge 'a fome normal dos não-fumantes', antes reprimida pelo fumo", explica Thiago Volpi.
O médico destaca também que a atividade física é ainda mais importante após a decisão de parar de fumar. “Não apenas para evitar o ganho de peso e acelerar o metabolismo, mas também para diminuir a ansiedade, o estresse e a irritabilidade. Incentivamos os pacientes a praticar principalmente as atividades aeróbicas - de intensidade leve e moderada -, como a corrida, que provocam liberação de endorfina, conhecida como o hormônio do prazer e do bem-estar”, diz o nutrólogo.